terça-feira, 6 de setembro de 2016

Soneto de Amor

Ele me ama
Com todos os defeitos
Estou longe do perfeito
Mas Ele me ama

Um Deus tão grande assim
Que foi homem, para me salvar
Que é pão,  para me alimentar
Um Deus que lembra de mim

Ele que é Pai preocupado
Que é Filho,  e se faz irmão
Que é Espírito, advogado e guardião

Eis o meu Amado:
Não me pede para entender
Apenas para amar e crer

                    (Carol Quinteiro)

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Querido amigo

Clássico, moderno
Conservador, esportivo
Sereno, emotivo
Elegante, despojado
Artista, tímido
Composto de antíteses
Você é assim

Por favor,  não deixe
De tocar
De criar
De falar
De encantar
De pensar
E ser assim,
Simplesmente você!
(E não se esqueça de mim! )

                            (Carol Quinteiro)

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Metapoético

A chuva,
E suas gotas tramborilantes na janela ,
Me inspira.
A estrela ,
Brilhando em um céu limpo,
Me inpira.
A lua ,
Na serena noite ,
Me inspira.
O sol ,
No radiante dia,
Me inspira.
E assim como passa o dia,
Conforme for minha alegria ,
Tanto do melancólico vento ,
Como da flor colorida,
Faço poesia !
 
             ( Carol Quinteiro )

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Minha terra

Minha terra tem Onças
Lindamente pintadas
Tem também belas Araras
De cores variadas
É terra de Jacaré
E também de Capivara

Tem o Ipê sempre vaidoso
Quando começa o inverno
E tudo vai secando
Só então ele
Só e orgulhoso
Florece todo formoso

Tuiuiú ,só tu
Sabe pescar assim
Tão graciosamente
E lá vem o Sabiá
Sem cerimonia
À vontade entre a gente

Que falar de ti
Belo Pintado
Tão diferente das Piranhas
Sempre estranhas
Só perde pro Dourado
Em seu eterno reinado

Minha terra é regada
De Prosa e Segredo
E muito Tereré
É feita de Pantanal e Cerrado
A eterna Morena
Do seu povo amado

                    (Carol Quinteiro)

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Imatura

Não quero ser madura
Quero estar a altura
De ser eu mesma
De me representar

Me chame de criança
De ingenua, pirralha
Não ligo, não atrapalha
Ao contrário, é minha marca

É que este pensamento infantil
Me dá criatividade para sonhar
E mesmo na escuridão deste mundo hostil
Encontro luz para criar

Não quero ser madura
Quero estar a altura
De ser eu mesma
E jamás deixar de sonhar

                      (Carol Quinteiro)

quinta-feira, 28 de abril de 2016

Ore


Ore com carinho
Ore com respeito
Ore com alegria
Ore com paixão
                                
Ore por ti  
Ore pelo irmão
Ore por amor
Ore por gratidão

Ore sem pressa
Feito conversa
Ore sorrindo
Ore uma canção

Ore de dia , de noite
A quarquer hora
Ore agora         
Ore com o coração

                  (Carol Quinteiro)

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Vá, menina

Ei, menina
Escuta-me
E venha

Apressa-te,menina
O caminho
é longo

Fica calma,menina
Confia
Depois de pedras
Verá rosas

Agora vá,menina
Encontra teu Destino

                          (Carol Quinteiro)