segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Menina

Ah, menina
Não cresceu
Só o corpo
Ou o cabelo
Cresceu você
Por inteiro
Mas o sorriso
Ah, esse sim
Parece o mesmo

O motivo
Talvez, diferente
Mas com certeza
A beleza
É mesma
De menina
Sincera
Inocente

       (Carol Quinteiro)

domingo, 20 de novembro de 2016

Descombinando

Ela exatas
Ele humanas
Ela Toddy
Ele Nescau
Ela dia
Ele noite
Ela verão
Ele inverno

E no fim
Eles eram assim
Tão inversos
Tão complexos
Tão completos

Eles combinam
Descombinando

                      (Carol Quinteiro)

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Lápis

Lápis
Querido amigo
Mano velho
Fiel companheiro

Me conhece bem
Bom ouvinte
As vezes conselheiro
Me entende bem

De letra em letra
De som em som
De rima em rima
De verso em verso

Deu vida as minhas histórias
Conheceu minhas angústias
Desenhou meus versos
Deu cor as minhas rimas

Traduziu meus sentimentos
Refez minhas lembranças
Conduziu emoções
E traduziu meus mistérios

                                                (Carol Quinteiro)

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Sorriso

Ah, o sorriso!
De menina
De moleque
De criança
Inocente
Mas travessa

Ah, o sorriso!
Quieto
Singelo
Ou exagerado
Compartilhado
Com amigos

Ah, o sorriso!
Espontâneo
Sincero
As vezes,
Traz mistério
Tão belo riso

Como medir
Ou traduzir
Tudo o que diz
Um único sorriso ?

                    (Carol Quinteiro)

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Menos e mais

Menos tristeza
Mais música
Menos regra
Mais rima
Menos choro
Mais risos
Menos chatos
Mais amigos
Menos guerra
Mais amor
Menos morte
Mais vida
Menos cinza
Mais cor

Por favor ?

               (Carol Quinteiro)

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Soneto de Amor

Ele me ama
Com todos os defeitos
Estou longe do perfeito
Mas Ele me ama

Um Deus tão grande assim
Que foi homem, para me salvar
Que é pão,  para me alimentar
Um Deus que lembra de mim

Ele que é Pai preocupado
Que é Filho,  e se faz irmão
Que é Espírito, advogado e guardião

Eis o meu Amado:
Não me pede para entender
Apenas para amar e crer

                    (Carol Quinteiro)

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Querido amigo

Clássico, moderno
Conservador, esportivo
Sereno, emotivo
Elegante, despojado
Artista, tímido
Composto de antíteses
Você é assim

Por favor,  não deixe
De tocar
De criar
De falar
De encantar
De pensar
E ser assim,
Simplesmente você!
(E não se esqueça de mim! )

                            (Carol Quinteiro)