sábado, 13 de janeiro de 2018

E eu
Que sou toda
Música
Descobri
No Silêncio
Uma grande
Companhia

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Luzes de Natal

Luzes
De Amor
Esperança
E Alegria

Luzes
Que me lembram
Da criança
Que fui um dia

Luzes
Da promessa
De um futuro
E que motiva

A gente a ver
O Menino nascer
Com a fé
Da criança
Que fomos um dia

(Carol Quinteiro)

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Sou gente

Não sou especial
Nem deficiente
Não fale mole
Não me trate diferente
Por que sou eu o devagar
Se você não me entende ?
Eu aprenderia melhor
Se o mundo fosse Consciente
Não me ignore
Sou gente

Me ensine
Não me poupe
Me explica
Não me esconda
Se atente
Mas não me estranhe
Me proteja
Mas não me prenda

Me cative
Me corrija
Me crie
Mas não me faça
Diferente
Sou gente

(Carol Quinteiro)

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Desisti
De insistir
Em viver
Sobrevivendo

Antes
Pular alto
E cair
No abismo
Que tropeçar
Em remendo

(Carol Quinteiro)

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Essa tal de Arte

O que é arte ?
Um pensamento
A parte
Confuso
Excêntrico
Uma outra
Realidade

Modo de ataque ?
Ou bandeira branca ?
Realidade ?
De quem ?
De onde ?
Qual verdade ?

Liberdade?
Expressão ?
Ou obrigação ?

Busca
Maquiavélica
Incessante
Por aceitação

(Carol Quinteiro)

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Sou Pantaneiro

Sou boiadeiro
Berrantero
Sertanejo

Sou gaiteiro
Violeiro
Sou farreiro

Me emociono
Com sertanejo
Pé de Serra

Sou amante
De churrasco
De tereré

Sou pescador
Laçador
E cantador

Sou devoto
Da Mãe Aparecida
Eu sou Caipira

Sou gente fina
De chapéu
E de botina

Sou Pantaneiro

(Carol Quinteiro)

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Ela

Ela tem voz
De anjo
Jeitinho doce
E calmo
Delicada como
Bailarina

Com uma dose
De desastre
Gritos e
Gargalhadas
E um rio
Cafeína

(Carol Quinteiro)