quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Notas ocas

Pegue aquela
Caixa oca
De madeira
Com um braço
E uns seis pedaços
De fios nylon
Prenda bem
E se esconda
Naquele oco
Escuro canto
Do seu quarto

E dedilhe
Bata e grite
Tudo o que há
O que saiu
E o que guarda
No músculo oco
Em seu peito

(Carol Quinteiro)

segunda-feira, 17 de abril de 2017

Pessoas Normais

Um dia eu serei uma
Dessas pessoas normais
Só por um dia
Só pra saber como é

Ah essas pessoas
Serenas
Comportadas
Decididas

Enquanto isso
Meu coração
Faz tempo
Não bate
Dança Pipoca !

             (Carol Quinteiro)

domingo, 16 de abril de 2017

Descombinando (II)

Ele baixo
Ela violão
Ele clássicos
Ela anos 2000
Ele Star Wars
Ela a Bella e a Fera
Ele George Martim
Ela Kiera Cass
Ele paçoca
Ela trufa de menta
Ele SP
Ela MS

Sim
Continuavam
Descombinando
Mas
Se amando...

              (Carol Quinteiro)


quarta-feira, 5 de abril de 2017

Banco do pátio

Sabe aquele banco
Ali perto do parquinho
Com um pouco de sombra
E um outro tanto de sol
Poucas vezes foram
As que sentamos direito
Sempre no encosto
Costas na grade
E os pés no ascento

Ainda lembro do cheiro
Cachorro quente bem cedo
Poucas coisas tão boas
Quanto aquilo

Cara de sono
9 da manhã
Acorda que tem chão
Abraço de amigo
Colo de irmão

Música sempre
Cola da prova
Quem sabe
Tarefa copiada
Conversa aleatória
Bobeiras sem fim
Gargalhada de idiota

Sabe aquele banco
Frio, duro, apertado
Foi bem ali
Os melhores
E eternos
20 minutos
De toda minha vida

            (Carol Quinteiro)


quinta-feira, 30 de março de 2017

Morena

Ah, Morena
Olho- te com os olhos
De uma filha pródiga
A reencontrar a mãe

Te observo
Como uma saudosa poeta
Que retorna do exílio

Te admiro curiosa
Como a criança sonhadora
A redescobrir o próprio jardim

Morena, Morena
Jamais perde seus encantos
Alegria de seus traços
O brilho no olhar de tua gente
E o calor de teu abraço

              (Carol Quinteiro)


Poetizar


Sente
Ama
Escreve
Guarda

Ri
Vive
Escreve
Refaz

Canta
Dança
Descreve
Poetize

               (Carol Quinteiro)


quarta-feira, 29 de março de 2017

Simples versos

Poemas autorais
Temas sazonais
Versos verdadeiros
Sinceros
Legíveis
Reais

(Carol Quinteiro)